É um pouco injusto fazer um top 5 com as mulheres de maior fibra nas séries de televisão. Primeiro porque vamos inevitavelmente deixar alguém que merecia estar aqui de fora; porque são critérios muito subjetivos para escolher as “melhores”. Não importa. Nesse dia Internacional da Mulher, do mesmo jeito que nossos amigos do Blog POP Nerd & Geek fizeram, vamos lembrar e homenagear as mulheres de fibra.

Novamente reforçando, este é um post de opinião; são as minhas mulheres de fibra favoritas das séries de TV. E ao ver aqui a lista, eu percebo que deixei muitas de lado. Mas percebo também que cada uma representa um arquétipo, uma faceta diferente das mulheres de fibra.

E importante avisar: a maioria dos comentários abaixo é recheado de spoilers!



Laura Roslin (“Battlestar Galactica”)

Como começar a falar de mulheres de fibra sem pensar primeiro na Presidente Roslin de “Battlestar Galactica”? Uma das únicas personagens completamente únicas à série de 2004, ela começa na história como Secretária de Educação, que acaba se tornando a Presidente das Doze Colônias por conta do genocídio cylon. Sofrendo de câncer, ela lidera os últimos sobreviventes da raça humana em busca da promessa da décima-terceira colônia perdida, a “Terra”. Interpretada por Mary McDowell, que faz um trabalho magistral em representar esta mulher de força e atitude inigualáveis.



Lorelai Gilmore (“Gilmore Girls”)

A próxima é a melhor mãe de seriados de tevê e não me venham falar em outras. Lorelai Gilmore, de “Gilmore Girls”, é uma jovem mãe de espírito livre. Tendo engravidado aos quinze anos, ela criou a filha Rory da melhor forma que pôde. Uma pessoa falante e cheia de referências da cultura pop, ela passou por muita coisa nos sete anos em que a série esteve no ar. Vivida por Lauren Graham.



Robin Scherbatsky (“How I Met Your Mother”)

Minha favorita pessoal entre tantas mulheres de fibra nas comédias pós-anos 2000, Robin Scherbatsky é uma mulher bravamente independente, bebendo seu uísque, fumando seus charutos e de maneira geral sendo a figura feminina central de “How I Met Your Mother”. E sim, sabemos que ela não é a mãe dos filhos de Ted – o que não a impediu de continuar sendo a mulher mais importante da vida dele. A jornalista canadense passou por vários arcos de história complexos – que ainda não acabaram, considerando-se os atuais rumos da sétima temporada da série – mas sabemos que ela tem a capacidade para superar tudo. Nem que ela tenha que sacar uma arma para isso. É interpretada por Cobie Smulders, que também é canadense (e foi a razão para tornarem a personagem canadense).



Carrie Bradshaw (“Sex And The City”)

Se alguma mulher das séries de televisão representa melhor o ideal da mulher que vive a própria vida sem necessariamente depende de mais ninguém, é Carrie Bradshaw. A protagonista de “Sex And The City” começou como personagem de romances, mas superou suas origens e tomou toda uma geração feminina de assalto, com sua inteligência mordaz e seus comentários sem preconceitos. E com a atuação de Sarah Jessica Parker, que de algum modo conseguiu passar de forma perfeita toda a complexidade da personagem, é difícil pensar nessa lista sem Carrie.



Olivia Dunham (“Fringe”)

E por fim, mas não menos relevante, minha agente do FBI favorita (perdão, Dana Scully!). Olivia Dunham é uma agente escolhida a dedo para participar da Divisão Fringe, no seriado de mesmo nome. Buscando responder aos eventos aparentemente inexplicáveis do assim chamado “Padrão”, e para colaborar com as forças equivalentes do universo paralelo, ela deve reunir forças e recursos para cumprir essa missão. Enquanto isso, ela é completamente ‘bad-ass’. E acredito que ela é a chave para salvar ambos os universos, e não Peter – como parece óbvio. Ela é interpretada de forma magistral por Anna Torv, que é capaz de passar as mais leves inflexões e emoções.



por Álvaro Freitas