Reprodução/Lulu

Nenhuma rede social criou mais polêmicas que o Lulu. Criada para as mulheres avaliarem o desempenho dos homens em relacionamentos, o aplicativo disponibiliza também a opção para os avaliados saírem do site.

Para as pessoas que se sentirem atingidas, basta entrar no site do aplicativo que é dada a opção de exclusão. Porém, a pessoa tem de se conectar ao Facebook para haver a identificação do perfil no sistema. A empresa diz que o processo é automático.

Além de poder pedir o descadastramento, os homens podem adicionar hashtags para seu perfil (Com cores diferentes das feitas pelas mulheres) e editar alguns status, mas não podem criar seu próprio perfil.

O Lulu vem criando muitas discussões sobre esse tipo de avaliação. Enquanto algumas pessoas afirmam que o aplicativo é uma boa para não se cair em roubadas emocionais, outros acusam de ser uma invasão de privacidade das pessoas. Desde que foi lançado, ele é o campeão de downloads na Google Store.

Você que está no Lulu (para saber, é bom perguntar para uma amiga) e não quer mais participar, pode entrar na página do aplicativo aqui. Abaixo seguem as opiniões dos redatores do blog de tecnologia do Pop.

“O Lulu é um aplicativo 4.ª série B, mas não acho necessáriamente algo ofensivo. Não acredito que muita gente vá deixar de se relacionar apenas por status negativos (afinal tem os positivos também). Também não penso que essa rede social seja uma invasão de privacidade masculina, apenas uma forma bobinhs das mulheres repartirem suas experiências”, Dener Gomes.

“Se o Lulu fosse um aplicativo para os homens classificarem as mulheres e tivesse feito esse mesmo sucesso, tenho certeza de que teria sido considerado um abuso pelas mulheres. Teria sido chamado de sexista, invasivo e tudo o mais! Eu realmente acredito que esse tipo de aplicativo é tudo isso, mas acho que as mulheres que usam o Lulu se esqueceram completamente disso. Nenhuma pessoa, independentemente do sexo, deveria ser exposta a esse tipo de avaliação tão supérfula e a possíveis humilhações relacionadas a ela”, Larissa Takeda.