Reprodução

Os fãs da luta-livre conhece bem esta marca que deixou saudades: vamos relembrar alguns dos momentos extremos da célebre ECW!

Hoje em dia temos muitas grandes federações de luta-livre amadoras (aqui no Brasil, a BWF reina inigualável), sendo poucas que fazem grande sucesso na televisão. Nos EUA, os que mandam são TNA e WWE.

Se estamos atrás de entretenimento familiar, com personagens carismáticos e nada de (muita) violência, procuramos as lutas da WWE. Porém se estamos atrás de algo mais cru, rude e sanguinolento, temos a TNA e seus broncos bebedores de cerveja e cuspidores de palavrões. Mas a luta-livre profissional americana já foi muito mais brutal do que a TNA é hoje ou já foi um dia.

Prova disso é a falecida “Extreme Championship Wrestling” – ou simplesmente ECW. A marca registrada desta federação resumia-se a apenas uma palavra: extremo!

Com lutadores lendários como Sabu, Tommy Dreamer, Rob Van Dam e Rey Mysterio , as lutas promovidas pela ECW praticamente não tinham regras. Os movimentos eram realmente extremos, e muitas vezes deixavam belos ferimentos. Para muitos, esta era a verdadeira essência da luta-livre.

Relembremos agora um pouco sobre os dias dourados onde cadeiras entortavam em cabeças sem a menor dó ou piedade.

 

ATENÇÃO: O vídeo à seguir contêm cenas violentas e não é recomendado a todas idades ou à pessoas sensíveis. Garanto, no entanto, que nenhum ferido teve consequências mais graves além do primeiro impacto.

 

 

E você, também acha que a luta-livre era mais emocionante nestes campos mais extremos e sangrentos?

Polêmica de lado, uma das coisas mais divertidas do vídeo é constatarmos que muito do que chamávamos de “moda” no início dos anos 90… Bem, hoje “já não funciona mais” – vamos apenas colocar assim!