Os anos 90 foram marcados musicalmente pelo Girl Power. Apesar do termo ter sido popularizado pelas Spice Girls, que só apareceram na metade da década, diversas mulheres já vinham chamando a atenção de público e crítica.

Pensando que estamos no último dia de 2011, resolvemos ser totalmente saudosistas e fazer um Top 5 com mulheres que, de tão poderosas, se tornaram inesquecíveis quando o assunto é rock dos anos 90.

 

Shirley Manson
A ruiva escocesa entrou para o Garbage sem saber que Butch Vig, que formou a banda em 1994, estava por trás do maior sucesso do Nirvana, “Nevermind” (1991). Apesar da química entre Shirley e o restante da banda não ter dado certo em seu primeiro teste, após pouco menos de um ano, ela voltou a cantar com Butch, Duke Erikson e Steve Marker – e o resto é história.

Alanis Morissette
A canadense Alanis chegou com os dois pés na porta ao lançar “You Oughta Know”. A música, que assim como o restante de “Jagged Little Pill” (primeiro disco da cantora a ser lançado internacionalmente), expõe de forma agressiva e direta um dos relacionamentos de Alanis. Ter Flea e Dave Navarro, baixista e guitarrista do Red Hot Chili Peppers, gravando e endossando seu trabalho foi só a cereja no topo do bolo para que o mundo prestasse atenção nas revoltas e descobertas da cantora que tinha, na época, somente 21 anos.

Gwen Stefani
Vista como a garota que invadiu o clube do bolinha, Gwen desde sempre mostrou personalidade forte, apesar de nunca deixar a feminilidade de lado. Se com “Don’t Speak” ela e seu No Doubt embalaram diversas dores de cotovelo de 95, em “Just A Girl” ela falava exatamente sobre o fato de ser uma garota, todas as coisas que pode ou não fazer e como está cansada de ver pessoas dizendo que seu destino está traçado.

Dolores O’Riordan
Dolores foi a primeira de nossa lista a fazer sucesso. Em 92, após lançar “Dreams”, primeiro single do debut do The Cranberries, “Everybody Else Is Doing It, So Why Can’t We?” (1993), esta irlandesa encantou o mundo com sua voz única. Depois disto foi hit atrás de hit. “Zombie” chamou a atenção, assim como “Sunday Bloody Sunday” do U2 fez quase 20 anos antes, em 1983, sobre os constantes conflitos entre Irlanda e Irlanda do Norte, pautados por suas diferenças religiosas e luta por território.

Courtney Love
A mais bagunceira e odiada de nossa breve lista, Courtney Love está ai, na ativa quando possível e, mesmo após duas décadas, consegue sempre ser foco de polêmicas. Enquanto ela se tornou conhecida a princípio por ser a esposa louca de Kurt Cobain, a música já estava em sua vida há tempos. Líder do Hole, Courtney nunca chegou a fazer o mesmo sucesso de seu falecido marido, mas teve seus pontos altos com a banda. Como em 94, ao lançar seu segundo disco, “Live Through This” do qual saiu o single “Violet”. E depois, quatro anos mais tarde, com o álbum “Celebrity Skin”.