Recentemente, ocorreu o “Mark Twain Prize for American Humor”, que celebra os grandes comediantes da indústria do entretenimento norte americano.

Este ano, o homenageado foi Will Ferrel… que prontamente deixou seu prêmio se espatifar no chão.

Após recolher os destroços, Will agradeceu o “belíssimo busto” que recebeu e deixou claro o quanto ele significava. Mais ainda, ele disse que sempre cuidaria dele e o protegeria e que seus filhos mexessem nele ou meramente OLHASSEM para ele, levariam uma surra.

E é isso que acontece quando um gênio cômico como Will Ferrell tem liberdade para fazer aquilo em que é melhor, temos comédia de qualidade. Alguem consegue imaginar o escândalo que seria se ele fizesse isso no Oscar e derrubasse uma estatueta? No dia seguinte, membros da comunidade cinematográfica e “especialistas” o crucificariam de todas as formas, por “desrespeitar” um ícone cultural como o Oscar.

Nesta semana, em que muitas pessoas debaterão a cerimônia do Oscar a exaustão e se perguntarão como ela poderia ter sido melhor, eis uma resposta: bom humor não machuca e tem muita gente disposta a sair da segurança monótona que lhes é imposta neste tipo de situação e arrancar risadas genuínas das pessoas.

Por Amer H.